CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Projeto Literatura Popular em versos da Casa de Rui Barbosa

Fonte: bibletrasufrj.wordpress.com

           O projeto Literatura Popular em versos da Casa de Rui Barbosa conta com um acervo-  o maior da América Latina – com 9.000 folhetos de cordel  formado a partir da década de 1960 disponível para consulta online por meio de suas referências catalográficas, que podem ser consultadas por índices, como o deautor, título, assunto, local de publicação, editora/tipografia, data, gênero literatura de cordel, na basede dados da Biblioteca.

          Desse conjunto, cerca de 2.340 folhetos dos autoresrelacionados em poetas e cantadores estão disponíveis em versão digital,com suas versões originais e variantes.

              Segundo o projeto o cordel é valorizado como expressão poética de alta significação por escritores do porte de Ariano Suassuna, Carlos Drummond de Andrade, Jorge Amado, Guimarães Rosa, Mario de Andrade, João Cabral de Melo Neto, motivando (e continua a motivar) estudos e pesquisas nas áreas de Antropologia, Folclore, Lingüística, Literatura, História, entre outras.

Acesse: http://www.casaruibarbosa.gov.br/cordel/acervo.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário