CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

A literatura de cordel ganha vida em Santa Cruz através de seus poetas (RN)

Fonte: Blog de Paulo César: santacruzdotrairi.blogspot.com

          Nunca se produziu tanta literatura de cordel em Santa Cruz como vem acontecendo nos últimos anos.
          Embora a literatura de cordel apresente maior sucesso em estados como Pernambuco, Ceará, Alagoas, Paraíba e Bahia, no nosso estado começa a ganhar vida e destaque, especificamente em Santa Cruz, através de poetas como Gilberto Cardoso, Hélio Crisanto, Adriano Bezerra, Edgar Santos, Antônio Borges, João Maria e tantos outros que simplesmente estão tornando popular em nossa cidade essa cultura nordestina.
          O poeta Gilberto Cardoso já produziu sozinho cerca de 18 publicações de cordel com variados títulos e diversos temas.
             Santa Cruz é uma das poucas cidades do Rio Grande do Norte que concentra um significativo número de bons e elevados escritores, poetas e cordelistas do mais alto gabarito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário