CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Crítica bem-humorada ao capitalismo é mote para o grupo Imbuaça

Reflexões sobre a ingenuidade e a esperteza humanas resultam no espetáculo O Mundo Tá Virado (FERNANDO PIRES/ DIVULGAÇÃO)

Por Jornal: www.opovo.com.br

A todo vapor em sua segunda semana de programação, o festival Palco Giratório 2011 dá continuidade hoje (11), às 10 horas, com a participação do grupo sergipano Imbuaça no espetáculo O Mundo Tá Virado, grátis, no Sesc-Centro.

A trupe, oriunda da capital Aracaju, faz uso da literatura de cordel para alçar uma crítica - bem-humorada, diga-se de passagem - ao famigerado “capitalismo selvagem”, à cultura de massa e ao consumo exagerado. Com direção de Iradilson Bispo, a montagem parte de três histórias curtas para levar o espectador a refletir acerca da condição ingênua do ser humano e, consequentemente, seu antônimo: a esperteza.

O grupo Imbuaça, cujo nome presta uma homenagem a um artista popular de Aracaju (o embolador Mané Imbuaça), existe oficialmente desde 28 de agosto de 1997, sendo resultado de uma série de oficinas realizadas no município, dentre elas a ministrada por Benvindo Siqueira, que trazia a sua experiência do Teatro Livre da Bahia.

Amanhã (12), às 10 horas, no Sesc-Fortaleza, o grupo retorna desta vez munido do espetáculo O Teatro Chamado Cordel, tendo como base obras de José Pacheco e Rodolfo Coelho Cavalcante.

Outras informações: 3452 9000.

Nenhum comentário:

Postar um comentário