CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

sábado, 7 de janeiro de 2017

SITE DISPONIBILIZA ACERVO RARO COM MAIS DE 2 MIL OBRAS DA LITERATURA DE CORDEL – RJ

Casa Rui Barbosa disponibilizou acervo raro de literatura de cordel. São mais de 2 mil obras
Site disponibiliza acervo raro com mais de 2 mil obras da literatura de cordel  |  Fonte: Divulgação

Um acervo raro da literatura de cordel, gênero literário muito popular no nordeste brasileiro, agora está disponível para os leitores de maneira online e gratuita. A Fundação Casa Rui Barbosa (FCRB) criou o Cordel – Literatura Popular em Verso, um site que reúne, até o momento, obras de 21 cordelistas. No total, estão disponíveis 2.340 folhetos para consulta.

O site reúne versões originais e variantes dos cordéis. Foram disponibilizados ao público aqueles que já estão em domínio público e os que foram autorizados pelos próprios autores ou por suas famílias a fazerem parte do acervo digital.
O projeto foi idealizado pela professora Ivone da Silva Ramos Maya que, após receber um material muito raro do cordelista Leandro Gomes de Barros, um dos mais reconhecidos e importantes poetas do gênero, passou a imaginar um meio de dividir com o público os escritos do autor.
Em entrevista concedida ao Ministério da Cultura, ela diz que tem planos de ir mais longe com a ideia: “pretendo encaminhar uma proposta para a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), para que o cordel seja tombado como patrimônio da humanidade”, disse.
Além dos folhetos, o site possui também biografias dos autores e a bibliografia disponível na FCRB com 400 referências dentre artigos, livros, recortes, teses e dissertações.


Fonte: http://noticias.universia.com.br/

domingo, 25 de dezembro de 2016

MENSAGEM DOS PROFESSORES AOS ALUNOS CONCLUINTES DO AUGUSTO DOS ANJOS JOÃO PESSOA – 2016.


Por Manoel Belisario
***
Caros alunos concluintes
Um novo ciclo se encerra.
Momentos inesquecíveis,
Vossa memória descerra.
O passado nos invade,
Com a marca da saudade
Vem ao nosso peito e o ferra.
***
Muitos de vocês chegaram
Nesta escola ainda na infância.
Trazidos por vossos pais
Com cuidado e vigilância.
Sonhando em vê-los distantes
Longe das trilhas errantes
Do Mundo da Ignorância.
***
Esta escola os acolheu
Como um abraço materno.
Foi vosso lar, vossa praça,
Foi matéria de um caderno
Onde se escreve poesia;
O sol surgindo num dia
Gelado do fresco inverno.
***
Por aqui vós acessastes
Ao saber fundamental,
Entrada, porta, alicerce
Pra sapiência de alto grau.
Tivestes nós professores
Como facilitadores
Desse processo essencial.
***
Fostes bem entronizados
Nos saberes culturais
Que são sistematizados
Em róis educacionais
Cujas teses muito sérias
Se traduzem nas matérias
E seus assuntos globais.
***
Estudastes Matemática,
História, Geografia, Inglês,
Ciências, Educação Física,
Religião, Artes, Português
E tantos ensinamentos
Que nos corações atentos
Grande importância se fez.
***
Quanto engenho transmitido!
Quantos valores passados!
Para o mundo, para a vida,
Por nós fostes orientados.
Fica, pois em vossas mãos
O papel de cidadãos
Com os braços descruzados.
***
Seus amigos conquistados,
Esta longa trajetória
Vivida sob este teto
Levais em vossa memória.
Os saberes recebidos
Jamais vão ser esquecidos.
São parte de vossa história.
***
Enfim, sentimos cumprida
Nossa parte da missão.
Caso vos venham saudades
Afligindo o coração,
Estamos aqui bem perto
Com o abraço e o peito aberto
E ainda estendida a mão.
***
A maior RIQUEZA humana
Está no CONHECIMENTO,
Nele mora a liberdade
Dona do DISCERNIMENTO.
O que dele se apropria
Na PLENA CIDADANIA
Constrói um belo aposento.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Alunos de escola municipal produzem livro com poesias e literatura de cordel ( MANAUS- AM)

   
Vinte sete alunos do 9º, do turno matutino, da Escola Municipal Antônio Matias Fernandes, Comunidade da União, bairro Flores, zona Centro-Oeste, produziram o livro intitulado “Literatura de Cordel e Poesias”. A obra é composta por 20 produções literárias, sendo 15 cordéis e cinco poesias.
O livro foi produzido durante o 3º bimestre de 2016, entre os meses de julho a setembro, durante as aulas da disciplina de língua portuguesa, realizadas pela professora Adriane Costa.
A produção literária retrata a vida cotidiana, o olhar de mundo, a realidade, vivencia e laços conquistados pelos alunos no ambiente escolar, além de histórias que falam de amor e da vida pessoal dos estudantes.
Segundo o gestor da escola, Rodrigo Froes, a ideia surgiu com Sarau de Literatura Amazonense, realizado na escola, no último mês de agosto. O Gestor ressaltou que o livro tem a finalidade de mostrar aos estudantes que eles podem ser construtores das suas próprias histórias.
“A ideia do livro é mostrar que os alunos podem produzir um material literário rico, mostrando o seu cotidiano. A ideia também é pensar na língua portuguesa de forma viva e prática”, explicou.
Umas das escritoras mirins é a aluna Jully Simukaua. Segundo a estudante, ela já gostava de ler poesias e cordéis, mas foi primeira que escreveu obras dos gêneros literários, que envolvem rimas e historias em forma de relatos orais.
“Eu sempre gostei de poesias, de ler, mas eu nunca tinha experimentado escrever um cordel ou fazer uma poesia. Para mim foi uma experiência boa, uma experiência interessante, me senti como uma escritora de verdade”, descreveu.
Texto: Emerson Felipe
Fotos: Divulgação / Semed
FONTE: http://politicaaplicada.com.br/


segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

VOSSA EXCRESCÊNCIA (VERSO I)


A empresona, Odebrecht
Está sem inspiração
Dando nomes tão manjados
Ao magote de ladrão.
Eles querem nossa ajuda.
Valha-lhes Deus, corre acuda
Vamos deixar sugestão.

O batismo no cangaço
Tinha mais criatividade.
Vamos descer mesmo o nível.
Sugira nome à vontade.
Quem compete nesse meio
Vence quem fizer mais feio
Apelido, meu ‘compade’.

BOCA MOLE

Boca-manga-bacurinha,
Boca-angu, Boca de Fole,
Boca de Bosta, Bocão,
Boca-come-e-nunca-engole;
Boca-ministro-gilmar
Boca-jacaré-aruará
Boca-não-tem-quem-controle.

TODO FEIO

Coisado, Febre do Rato,
Todo Horrível, Sai do Meio,
Nauseado, Apapagaiado,
Ligeirinha-perde-freio
Chupando-limão-na-feira
Ricardo-no-CAC, Beira-

de-CUeiro, pangoleio.


(Manoel Belizario)

terça-feira, 27 de outubro de 2015

HUGO MOTA: O DEPUTADO DA PIZZA (PARTE FINAL)

Por Manoel Belizario

Irei relatar agora
Quanto a CPI gastou
Dizendo estar trabalhando
Mais uma vez enganou
A população, coitada
Que está pra lá de abismada
Com a coisa como passou.
***
Gastaram dinheiro a fole,
Como se diz no sertão,
Com viagens e um contrato:
Nada menos que um milhão
E meio e o resultado
Deixa o povo envergonhado.
É triste a situação.
***
         

Mas a vergonha maior

É ver que a principal,
A classe de Hugo Mota,
De político em geral,
Não sofreu um arranhão
Mesmo sabendo que estão.
No meio do lamaçal.


A missão de Hugo Mota
Não custa nada dizer:
Reunir situação
E oposição pra fazer
O famoso acórdão
E tal negociação
 Só fez o Brasil perder.

***

Assim Eduardo Cunha,
Amiguinho de Hugo Mota,
(E tantos outros corruptos,
Congressistas da patota)
Sai da CPI ileso
O cidadão diz é peso
O que tal ação denota.

***

Chego ao final do poema
Com vergonha e embaraço,
Enquanto Huguinho despeja
Sorrisos, beijos e abraço;
Achega-se ao cidadão
Com uma pizza na mão
Dizendo: “quer um pedaço?”

Parte I

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

FELICITAÇÕES DE ANIVERSÁRIO

O signatário deste blog, Manoel Belizario, recebeu via Facebook o poema abaixo em alusão à passagem de seu aniversário. O mesmo agradece ao autor, o poeta Lucarocas, e reproduz o poema abaixo:

Ainda pelo aniversário...
.
Nesta data celebrada
Desejo felicidade

Que em sua caminhada
Haja então prosperidade
E que junto com os seus
Tenha a benção de Deus
Por toda uma eternidade.
.
Que sonho seja vitória
No caminhar dessa vida
Que tudo então seja glória
Na estrada percorrida
E que seu aniversário
Seja só um breviário
Para a paz que é merecida.
.
Saúde seja constante
Em todo seu caminhar
E todo passo avante
Seja mais um conquistar
E que tudo em sua vida
Tenha a graça merecida
Do exercício de amar.
.
Que a benção do amor
Brote em seu coração
E por onde você for
Leve a paz da oração
E que todo seu sorriso
Traga a luz do paraíso
Na mais sonora canção.
.
Parabéns. Paz e Bem.



Lucarocas
(85) 98897-4497 (oi - WhatsApp)
99666-9396 (Tim)
poeta@lucarocas.com.br

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

IX PRÊMIO COSERN DE LITERATURA DE CORDEL

O Prêmio Cosern Literatura de Cordel faz parte da programação do Circuito Potiguar do Livro e supera o campo da poesia e da arte popular, uma vez, que avança também no resgate dos princípios da cidadania e de uma sociedade mais justa e comprometida com o presente e com o futuro.
Envolve, além dos poetas cordelistas – enquadrados na categoria livre -, a imensa comunidade escolar norte-rio-grandense, formada por estudantes do ensino fundamental e médio.
A participação dos estudantes cresce a cada edição, estendendo-se para as diversas regiões do Rio Grande do Norte. O prêmio revela ainda histórias encantadoras de jovens poetas que, independentemente do meio ondem vivam, demonstram a sensibilidade artística encorpada numa das mais tradicionais manifestações da cultura nordestina.
Com o tema “Consuma energia de forma segura e consciente, não desperdice e preserve o meio ambiente”, o IX Prêmio Cosern Literatura de Cordel receberá inscrições até o dia 08 de janeiro de 2016 e distribuirá aos vencedores troféus e mais de 3 mil reais em prêmios.

Para mais informações consulte nosso regulamento.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

HUGO MOTA: O DEPUTADO DA PIZZA (PARTE I)




Por Manoel Belizario

Eita estado, hein Paraíba?
Há tanto tempo usurpado.
O nome da capital
Em muita goela entalado.
Terra de coronelismo
Onde seu politiquismo
Deixa o povo envergonhado.

Temos jovens deputados
Com pensamento atrasado.
Caminham pela direita
Defendendo o próprio lado.
São filhotes da elite
Por ela não têm limite
O povo é escanteado.

O caso que vou narrar
Mais parece uma lorota:
Se refere a um pizzaiolo:
O deputado Hugo Mota.
De pouca idade e tamanho
Um tamborete de banho
Quem bebe o chama meiota.

Vocês lembram, meus amigos,
Da famosa CPI
Referente à Petrobrás?
Eu vou relembrar aqui.
Esse dito deputado
Foi à presidência alçado.
Espere um pouco, não ri.

Pois é nosso deputado
Chegou com gosto de gás.
Dizendo não ser menino
A um deputado voraz
Que pôs sua ação em cheque
O xingando de moleque.
Espere que conto mais.



Muito brasileiro vendo
Aquela bela atitude.
Pensava consigo agora
Vai gente presa amiúde.
Porém muita pequenez
Se esconde com altivez

À sombra da juventude.

(Continua)

CORDEL EM CAXIAS DO SUL-RS

Via Mala de Romances

Corag lança livros em braile e revista da Academia Caxiense de Letras

CORAG lanca cordel em braile e revista da Academia Caxiense de Letras


FEIRA DO LIVRO – A Corag lançou no dia 16/10, durante a Feira do Livro de Caxias do Sul, duas importantes publicações para a cultura regional. A edição em braile da adaptação em cordel da obra de Simões Lopes Neto, escrita por Arievaldo Viana, e a primeira edição da revista da Academia Caxiense de Letras.
A edição dos cordéis em braile é uma iniciativa da Corag, em parceria com a Faders e TVE. Além dos livros impressos, cada livro foi gravado em áudio, com cd’s que acompanham as obras. O escritor Arievaldo Viana esteve presente no lançamento. O presidente da Corag, Vinicius Ribeiro, ressalta que esta foi a primeira obra em braile editada pela Corag, “Este é mais um passo para a democratização da educação. Dar acesso às pessoas com necessidades especiais a essa obra é uma contribuição à cultura regional e, principalmente, o cumprimento de um dever social que o estado tem perante a comunidade gaúcha”, afirma.
IMG_6491IMG_6487IMG_6490

Como forma de incentivar iniciativas culturais no Rio Grande do Sul que valorizem e difundam a qualidade da produção literária do Estado, a Corag apoiou o lançamento da primeira edição da revista Dante, publicação literária oficial da Academia Caxiense de Letras. A parceria entre as duas instituições permitiu à ACL/RS concretizar o sonho de manter um periódico impresso gratuito para veiculação de entrevistas, artigos, contos, ensaios e resenhas sobre literatura, com caráter didático e de entretenimento, produzidos pelos acadêmicos especialmente para a Dante. 

Adaptação em Cordel da Obra de Simões Lopes Neto


Nascido em Pelotas no ano de 1965, o escritor João Simões Lopes Neto é, graças à sua grandiosa produção literária, considerado o maior autor regionalista do Rio Grande do Sul, valorizando em sua obra os aspectos históricos e culturais do povo gaúcho. Sua literatura teatral, muitas vezes dedicada ao gênero cômico, valorizando o sotaque característico do homem do interior do Estado, chamando a atenção para os problemas cotidianos da vida campeira, lançou as bases para o que hoje se entende por tradicionalismo na cultura gaúcha. Em homenagem aos 150 anos de seu nascimento, a Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas compilou nestas publicações algumas das mais famosas obras do autor pelotense adaptadas em cordel nos versos do poeta cearense Arievaldo Viana e ilustradas pelo artista pernambucano Jô Oliveira, contribuindo para a difusão da literatura simoneana e retratando a força cultural e espontânea de nossa obra nativa.
Fotos: Laudir Dutra
Fonte:http://jornalpontoinicial.com.br/cultura/corag-lanca-livros-em-braile-e-revista-da-academia-caxiense-de-letras/

terça-feira, 20 de outubro de 2015

EDUARDO CUNHA E A ILUSÃO VOLUNTÁRIA (PARTE II)

Por Manoel Belizario

Cunha vinha se elevando
Numa postura voraz
Como um ser honesto, probo,
Mas deixou o rabo atrás
Quando foi a CPI
Sordidamente mentir

No caso da Petrobrás.


(Link)

Negou ter alguma conta
Em paraíso fiscal,
Porém nesse requisito
O bacana se deu mal.
A declaração postiça
Desenterrou na Suiça
Os feitos do marginal.

Enviaram da Suiça
Completa comprovação:
Documentos assinados
Pelo “Senhor da Nação”;
Cópias do passaporte
Passadas como suporte
Das contas do “cidadão”.


(Link)

Disse o Sensacionalista
(Site isento de verdade)
Que Eduardo chorou
Quando viu a novidade.
Pôs logo num gêmeo irmão
Responsabilização
Por tamanha falsidade.


(Link)

Mentira tem perna Curta,
Cunha conhece o ditado.
Depois dessa descoberta
Das contas do desgraçado
Seu feitiço traiçoeiro
Virou contra o feiticeiro.
Eu acho é pouco, safado!

Depois disso cada dia
Nova denúncia aparece.
Eduardo, pelo jeito,
Pra te salvar não tem prece,
Pois até mesmo Jesus
Usaste como capuz,
Porém teu rabo aparece.

Pois é, Eduardo Cunha
Com o status de “crente”
Comprou uma frota de carros
De luxo, evidentemente:
Pôs em nome de “Jesus”-
Uma empresa que conduz.
Pense num homem decente!


(Link)

(CONTINUA)