CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Literatura de cordel, que agora será tema de novela, é destaque no catálogo infanto-juvenil da Paulus

Via site maxpress: www.maxpressnet.com.br

          Folhetos pequenos, com poucas páginas e muitas rimas, que resgatam, por meio de seus versos, a cultura popular brasileira. Essas são as características do cordel, que influenciou grandes escritores brasileiros, já foi destaque nas telas do cinema e agora serve de inspiração à nova novela das seis da Rede Globo, “Cordel Encantado”, prevista para estrear dia 11 de abril.
          A PAULUS, sempre comprometida com a difusão da cultura e disposta a oferecer materiais de qualidade, conta com vários títulos do gênero em seu catálogo infantojuvenil, incentivando jovens e crianças a se interessar por essa grande manifestação literária do nosso país.
          Para Nireuda Longobardi, autora de Mitos e lendas do Brasil em cordel, da PAULUS, e ilustradora na arte de xilogravura, difundir o cordel é também apresentar a nossa cultura popular. “A TV é sem dúvida um instrumento poderoso e, com certeza, irá levar a literatura de cordel para dentro dos lares brasileiros, só que desta vez em forma de folhetim, previsto para durar três meses. Muitas famílias irão se identificar, relembrando histórias ouvidas ou lidas nos folhetos de cordel”, garante.

          Marco Haurélio, que escreveu a obra A lenda do Saci-Pererê em cordel, também da PAULUS, vê a temática da novela como prova do bom momento pelo qual o cordel está passando, contribuindo para dar mais visibilidade ao gênero. “O fato de o termo ‘cordel’ ser evidenciado numa produção desse porte é altamente positivo para todos aqueles que trabalham com essa cultura e estão em constante diálogo com outras manifestações. O plantio, iniciado no final do século XIX, há tempos já rende bons frutos para os autores de cordel, e agora também terá proximidade maior com o público”, pontua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário