CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

quarta-feira, 30 de março de 2011

EXISTE ESPAÇO PARA CULTURA POPULAR?

Por Paulo Azevedo via blog Rotas e Roteiros

           Em passagem pelo estado de Pernambuco me deparei com uma cena que me fez pensar neste questionamento: "Existe espaço para cultura popular?". Estava eu curtindo minha merecida semana de férias em Porto de Galinhas quando vejo dois repentistas andando em um sol escaldante parando de guarda-sol em guarda-sol fazendo seus versos para turistas em busca da subsistência. Percebe-se rapidamente que este ambiente não é o mais saudável e que estes artistas não estão utilizando vestimentas condizentes com a temperatura que estão enfrentando. Mas estão ali. Com a impressão que aquela praia paradisíaca é o melhor local para que eles se insiram neste mercado cultural ou talvez nem pensem nisso, só visualizem que ali é o espaço que restou com a capacidade de fornecer a eles o dinheiro para sustentar suas famílias.
          Mas observando esta cena  e me pergunto se isto é correto. Me pergunto sobre as consequências de fatos como este. Percebo que o atual discurso da sustentabilidade ambiental tão em voga em nossa sociedade precisa urgentemente ser transpostado para a cultura popular de nosso país, mais precisamente do nosso nordeste. Será que as futuras gerações irão conhecer o REPENTE, a LITERATURA DE CORDEL, o SAMBA DE RODA, o FORRÓ PÉ-DE-SERRA, ou estas riquezas serão esquecidas através dos tempos.
            Precisamos urgentemente criar a Lista dos Gêneros da Cultura em Sério Perigo de Extinção. Se as autoridades do nosso país continuarem fingindo que nada está acontecendo,  se não blindarmos e multiplicarmos as poucas festividades diretamente relacionadas com a cultura popular para que estes gêneros autênticos não percam seus poucos espaços exixtentes e possam ser apreciados e conhecidos por nossos jovens e se não dermos a estes guerreiros que insistem nesta linda porém árdua causa a oportunidade

Fonte: rotaseroteirosturismo.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário