CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

domingo, 13 de março de 2011

Cordéis portugueses raros chegam ao Pátio

          Por Maria Alice Amorim

           Teia de cordéis é o título da exposição que o Museu de Arte Popular (MAP) inaugura quarta-feira, às 19h. Trata-se de uma mostra de literatura de cordel portuguesa em que será possível apreciar publicações do gênero, impressas a partir do século 17. Serão exibidos 250 cordéis do português Arnaldo Saraiva. Reunindo raridades desde os anos 1960 - quando veio pela primeira vez ao Brasil -, Saraiva traz ao Recife expressiva mostra de folhetos portugueses, ´cada vez mais invisíveis, mesmo em sebos`, conforme declara o pesquisador, o importante e raro estudioso do assunto naquele país. É também pela primeira vez que o Brasil recebe uma mostra de literatura de cordel portuguesa.


Poetas José Costa Leite e Marcelo Soares prestigiam a mostra de Arnaldo Saraiva (C) Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação

         ´Apesar da vitalidade e importância que a literatura de cordel tem ainda no Brasil, e em especial no Nordeste, uma exposição como esta poderá revelar a muitos brasileiros e portugueses as especificidades desta literatura`, defende o pesquisador, que possui uma coleção constituída de cerca de 700 exemplares portugueses, muitos dos séculos 18 e 19, entre os quais seis dezenas de folhas volantes. Os títulos em exibição no Recife dão uma idéia dos temas, dos períodos, formatos, modalidades textuais que caracterizam a coleção.
          O acervo de Arnaldo Saraiva está registrado no catálogo Folhetos de Cordel e outros da minha colecção, editado em 2006 pela Biblioteca Municipal Almeida Garrett, da cidade do Porto, onde o colecionador expôs cerca de 125 folhetos da coleção de raridades que possui, e onde também já expôs folhetos de cordel brasileiros da sua coleção de cerca de 4 mil exemplares. A exposição dos folhetos portugueses passou, ainda, pela Biblioteca Nacional de Lisboa e agora - ampliada para 250 exemplares - chega ao Recife, precisamente ao Museu de Arte Popular, no Pátio de São Pedro, onde poderá ser visitada no período de 16 de março a 30 de abril.
A inauguração da mostra de cordéis portugueses, na quarta-feira, contará com recital de cordelistas nordestinos. Na quinta-feira, também às 19h, Arnaldo Saraiva ministra uma palestra - a literatura de cordel portuguesa - no Teatro Hermilo Borba Filho, seguida de debate e recital.

Serviço
         Teia de cordéis (Cordéis Portugueses, da Coleção Arnaldo Saraiva)
Quando: 16 de março a
30 de abril de 2011
          Onde: Museu de Arte Popular (MAP) (Pátio de São Pedro, Casa 49)
Informações: 81 - 3355.4720

Fonte: diariodepernambuco.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário