CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Peça revisita literatura de cordel (Salvador BA)

Reproduzido de www.atarde.com.br

Peça está em cartaz no Teatro Vila Velha

Peça está em cartaz no Teatro Vila Velha

Com apresentações marcadas até 21 de agosto, sempre aos sábados e domingos, o espetáculo Remendo-Remendó revisita contos e folhetos de cordel, a exemplo daqueles que narram os casos de João Grilo, personagem imortalizado por Ariano Suassuna em O Auto da Compadecida.

Remendo-Remendó se passa em uma pequena cidade do interior, no momento em que o prefeito organiza um festival de contadores de histórias e reúne as mentes mais criativas do lugar. A peça, escrita por Inácio D’eus e Cell Dantas, foi montada pela primeira vez em 2002, quando foi indicada ao Prêmio Braskem de Teatro na categoria Melhor Espetáculo Infanto-junvenil.

Evento: Remendo-Remendó
Onde: Teatro Vila Velha
Quando: Sábados e domingos, até 21/08
Entrada: R$ 20

Nenhum comentário:

Postar um comentário