CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

UEPB realizará 1ª Jornada de Estudo Internacional sobre Poéticas da Oralidade a partir desta segunda-feira (07)

         

          “Poéticas da oralidade: reinvenção e reescrituras” é o tema da 1ª Jornada de Estudo Internacional sobre Poéticas da Oralidade que a Universidade Estadual da Paraíba realizará a partir desta segunda-feira (07). O evento, que prossegue até o dia seguinte (08), terá convidados do Brasil e de outros países e abordará especialmente a literatura de cordel e poesia oral, buscando ampliar a compreensão dessas poéticas da oralidade no que concerne à sua função social, sua especificidade literária e as incursões delas no livro impresso. As atividades serão sediadas no Centro de Arte e Cultura da UEPB, localizado no Centro de Campina Grande, ao lado do Terminal de Integração.
          A 1ª Jornada de Estudo Internacional sobre Poéticas da Oralidade também propõe um espaço de discussão sobre esses novos suportes e linguagens de que dispõem hoje a literatura de cordel, o teatro popular e outras poéticas. Nesse contexto, destaca-se um exemplo local e recente com relação ao suporte do cordel em livro. É que em 2010, o músico, cordelista e rabequeiro radicado na Paraíba, Beto Brito, lançou o denominado “maior cordel do mundo”: “Bazófias”.
          Na segunda-feira, a abertura da Jornada se dará a partir das 9h, no Auditório do Centro de Arte, com a conferência da professora Ria Lemaire. A holandesa Ria Lemaire é professora emérita e diretora da equipe brasileira do Centre de Recherches Latino-Americaines da Universidade de Poitiers, França. É especialista em literatura medieval em línguas românicas e de literatura brasileira dos séculos XIX e XX. Durante os dois dias do evento, ocorrerão mesas-redondas, no período das 9 às 18h30.
          A jornada acontece graças a uma parceria efetuada entre a Pró-reitoria de Pós-graduação, a professora Joseilda de Sousa Diniz, a equipe do acervo Átila Almeida e a equipe da assessoria dos museus da UEPB. Joseilda está atuando na UEPB como professora visitante. É doutora pela Université de Poitiers, sob a orientação da professora Ria Lemaire. Graduou-se em Língua Moderna Francesa pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, língua e literatura francesas. Em dezembro de 2010, recebeu do Ministério da Cultura (Minc), o Edital-Prêmio Mais Cultura de Literatura de Cordel na categoria Pesquisa, com a tese intitulada “José Alves Sobrinho: un poète entre deux mondes/José Alves Sobrinho: um poeta entre dois mundos”.

Redação iParaiba com Ascom

Imagem da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário