CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Professor da Univap é premiado pelo Ministério da Cultura

Docente da Univap, Paulo Barja é contemplado com o Prêmio Mais de Literatura de Cordel

André Leite
São José dos Campos

           Em todos as formas de expressões artísticas, a manifestação popular encontra espaço para se fazer presente. No campos da literatura, sem dúvida o Cordel é sua principal representante. E foi com a simplicidade de seus cordéis -- poemas populares impressos em papel, mas com grande força para se propagar na oralidade -- reunidos no projeto “Cordel na Estrada e na Escola”, que o professor da Univap (Universidade do Vale do Paraíba) Paulo Barja conquistou o Prêmio Mais de Literatura de Cordel, promovido pelo Ministério da Cultura. “Desde que comecei a produzir os folhetos, vejo um potencial muito grande do cordel como instrumento educativo... O cordel permite uma interação prazerosa entre pais e filhos, professores e alunos”, afirma Barja. Focado nesse potencial, o professor decidiu difundir seu trabalho -- que antes ficava restrito aos familiares e amigos -- pelas escolas da região. E com a ajuda do governo, a atividade ganhou ainda mais força e reconhecimento. “A simples criação desse prêmio significa que o governo brasileiro reconhece a importância do cordel como forma de expressão do nosso povo. E, para quem recebe o prêmio, significa apoio, confiança e uma certeza: há muito a ser feito!”, comemora. O projeto do prof. Barja foi contemplado na categoria “Formação”. Isso significa que seu trabalho é destinado tanto para a qualificação de profissionais como para a formação leitora do público em geral, por meio do Cordel (com a realização de palestras, apresentações e oficinas, entre outras atividades). O trabalho, que apresenta o Cordel como ferramenta didática, agora irá percorrer cidades como São Luís, Campinas etc. paulobarja.blogspot.com cordeisjoseenses.blogspot.com

Fonte: O Vale

Imagem: cesed.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário