CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Trabalhando com a Literatura de Cordel - Escola EEB Profª Antonia Correia Mendes - Campos Novos (SC)


O Cordel é uma forma poética rica, complexa e viva, que exprime uma mentalidade, uma visão de mundo popular. Para reproduzir a literatura de cordel, que são folhetos de versos expostos em cordões, os alunos do 5º ano formaram, junto com as professoras Melise e Gerci, seus folhetos, contendo versos ilustrados com xilogravura - desenhando com lápis branco sobre a cartolina preta - expressando os versos de seu cordel.






Texto: Joanira Melise Fernandes Camargo
Fotos: Ricardo A. Luzzi

 Fonte: escola.sed.sc.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário