CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Docente da França conhece acervo de Cordel na BC - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA (UEL) - PR

Agência UEL 


Raimunda Batista, José Júlio Ferreira, Anne-Marie Lemos e Izabel Aguiar

A professora Anne-Marie Lemos, da Universidade de Poitiers de Letras e Línguas, na França, esteve visitando hoje à tarde (9/5) o acervo de folhetos de Literatura de Cordel da Biblioteca Central da UEL. Nascida em Portugal, mas vivendo na França, Anne-Marie é professora de Língua e Cultura Portuguesa e Brasileira em Poitiers. Ela traduziu para o francês seis folhetos de cordel brasileiro.
Ela está na UEL por intermédio de convênio entre as duas universidades e aproveitou para conhecer o acervo de sete mil exemplares de Literatura de Cordel da BC que, em grande parte, foram doados pelo professor Alcides Carvalho. Anne-Marie esteve acompanhada da professora Raimunda Batista, pesquisadora de Literatura de Cordel, no Departamento de Ciências Sociais (CCH), do professor José Júlio Nunes Ferreira, coordenador do projeto de Literatura de Cordel do Departamento de Ciências Sociais e da bibliotecária Izabel Maria de Aguiar.
Anne-Marie também foi recebida pela diretora BC, professora Maria Elisabete Catarino. No período da manhã ela participou de uma reunião na Assessoria de Relações Internacionais (ARI), com o professor Manoel Simões.
E no final da tarde, em visita a reitora Nádina Moreno, a professora Anne-Marie discutiu a possibilidade de aprofundar ainda mais a relação entre as duas instituições. O assessor de Relações Internacionais da UEL, Manuel Simões, informou que a UEL vem defendendo a destinação de recursos próprios para proporcionar a mobilidade de estudantes da área de Humanas. As solicitações já foram encaminhadas a Fundação Araucária, Secretaria de de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) e Ministério da Educação.  

FONTE/REPRODUÇÃO: SITE AGÊNCIA UEL.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário