CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Literatura de Cordel nas escolas aproxima alunos da cultura regional – João Pessoa PB

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), continua incentivando os professores da rede a utilizar a literatura em cordel na sala de aula, buscando aproximar o estudante de uma cultura regional. Atualmente o projeto se desenvolve em 36 unidades de ensino, com a participação de professores de português e artes, que estimulam a apreciação da leitura dos folhetos e a criação da arte da xilogravura.

Semanalmente, os estudantes do Ensino Fundamental I e II têm aulas de cordel. As crianças aprendem a recontar fábulas e contos e mostram o cordel teatralizado em cenas e em forma de bonecos. Além disso, tem oficinas de xilogravura, técnica de gravura na qual se utiliza madeira como matriz e possibilita a reprodução da imagem gravada sobre papel ou outro suporte adequado, um processo muito parecido com um carimbo.

Orientada pela professora Wiviani Simonaci de Lima, a turma do 4º ano da Escola Fenelon Câmara, no Geisel, desenvolve esta técnica chegando a produzir a xilogravura nas camisas usadas pelos estudantes.

“O resultado é impressionante e os alunos ficam satisfeitos com as aulas vivenciadas com suas próprias produções. Unimos o cordel em sala de aula e o Ano Cultural em um só projeto, intitulado ‘Varadouro em Cordel’, e estampamos as camisas com os símbolos da nossa história, as construções do centro histórico”, comemorou a docente.

O Projeto, que nasceu em 2007, abrange também a Educação de Jovens e Adultos (EJA), espaço onde se destaca os cordéis com temática sobre lampião, pelejas, dramas e sofrimentos do povo nordestino. “Nós percebemos que o cordel desenvolvido na EJA traz muitos benefícios, a começar pela leitura, que adquire uma certa fluência por ser em forma de estrofes, além disso envolve assuntos relacionados a experiência de vida deles”, disse a coordenadora do projeto, Laura Maurício.

A secretária de Educação e Cultura, Ariane Sá, explicou que o objetivo da ação é incentivar a leitura do cordel dentro das atividades interdisciplinares de cada escola, entendendo esse gênero literário como instrumento pedagógico.

Fonte: www.joaopessoa.pb.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário