CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Veredas de Sombras - Literatura de Cordel - Antônio Francisco

Fonte: skoob

Um admirável Antônio Francisco novo. Assim podemos analisar a nova vertente de Antônio Francisco neste "Veredas de Sombras", terceiro livro do cordelista e poeta, que está sendo reeditado pela Petrobras. Forte como o título "Veredas de Sombras", é obra mais densa do que as anteriores, e de acordo com Antônio o livro mostra a alma da humanidade e a incoerência dos homens. Depois de enfrentar um sério problema de saúde, e superar com o forte coração de poeta, Antônio quis falar sobre a alma humana como nunca antes. Apesar de tocar em temas muito sérios, ele não perdeu a verve de observador do cotidiano que o acompanha em "Dez Cordéis num Cordel Só" e "Por Motivos de Versos". A Petrobras traz a reedição de "Veredas de Sombras", contribuindo para preservar a cultura popular e valorizar o trabalho do nosso poeta que de forma tão brilhante traduz o Nordeste e a realidade da nossa região. -- Jorge Amorim Pereira Filho (Gerente da Petrobras Mossoró).

Nenhum comentário:

Postar um comentário