CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

domingo, 31 de julho de 2011

Estado do Gurgueia - Em Literatura de Cordel (PI)

Reproduzido de gurgueia.org.br


Autor: Raimundo Cazé

Quando alguém numa família
Se casa e vai embora
Ganha essa mesma família
Um novo braço lá fora
Torna-se mais conhecida
E sua sorte melhora

Se numerosa a família
Com os filhos todos casando
É certa a prosperidade
Pois vai se multiplicando
Fato que é comprovado
Quando os filhos vão chegando

Com base nesse fenômeno
Da vida familiar
Devo dizer aos leitores
Sem ter medo de errar
A divisão de um estado
É uma conta de somar

Não interessa saber
De onde veio a ideia
De dividir o Estado
Com a criação do Gurgueia
O importante é ganhar
Mais abelha na colmeia


Vive o sul do Piauí
Por governos esquecido
Sem ter como progredir
Ponta de um corpo comprido
De onde nunca se escutam
Seu grito, riso ou gemido

Essa parte do estado
Vivendo assim esquecida
Tem o direito sagrado
De ter sua própria vida
Basta só que um plebiscito
Lhe autorize a partida

Autorizada por lei
A divisão do Estado
Teremos rachado, eu sei
Um território emperrado
E que dividido ao meio
Ficará mais respeitado

Do território de origem
Nada será retirado
O novo estado já nasce
Como seu forte aliado
Acolhendo a mão de obra
Do pobre desempregado

O novo estado a surgir
Não tem capital erguida
Onde quer que seja a sede
Terá que ser construída
Nascerá gerando emprego
E novas chances de vida

Dará mais chances ao jovem
Formado ou em formação
Novas oportunidades
Na área de Educação
Novos cursos e concursos
Para qualquer profissão

Terá você no futuro
O orgulho de ter dado
Independência ao Gurgueia
E seus irmãos aliados
Que traçarão seu destino
Depois de emancipados

Quem sabe se o novo estado
Não será sua morada
Quando a parte de origem
Estiver congestionada?
Tudo na vida é possível
Deus não faz a coisa errada!

Votando pelo Gurgueia
Você não age no escuro
Existem muitos exemplos
De passo firme e seguro
Basta ver o Tocantins
Ter alcançado o futuro

Veja quantos municípios
O Piauí tem criado
E mostre ao menos um
Que não tenha prosperado
Toda emancipação
Trás sempre bom resultado

Não devemos reprimir
O desejo de um povo
Quem mora no Piauí
E quer um estado novo
Não se dá por satisfeito
Pisando em casca de ovo

Viver no sul do Estado
Sem ter nenhuma assistência
É eleger governantes
Sem exercer influência
Como quem não participa
Por falta de competência

Se você não conhece o sul
Sinta-se então convidado
A visitar suas terras
Sua lavoura, seu gado
Sua gente laboriosa
Trabalhando no pesado

Veja o que falta por lá
Em matéria de assistência
Seja na agricultura
Na saúde ou na ciência
E verá gente dotada
De amor e persistência

Pra crescer e prosperar
Hoje o sul do Piauí
Precisa se emancipar
E ter como decidir
Não há outra solução
Não adianta insistir

Tem que haver independência
Governo próprio e capaz
De enfrentar a concorrência
Seguir sem olhar pra trás
Agindo com competência
Ganhando e querendo mais

O estado do Gurgueia
Só depende de você
Com seu voto independente
Para ajudá-lo a nascer
Faça isso e assista
O novo estado crescer

Não negue apoio a quem sonha
Com o desenvolvimento
E precisa de autonomia
Esse importante instrumento
Que alavanca o progresso
Em todo e qualquer momento

Vote sim e se orgulhe
Do estado que vai surgir
Ele será seu vizinho
Se lá não for residir
Depois diga: eu fiz nascer
Um filho do Piauí.

Esse filho saberá
O seu voto agradecer
Acolherá em seu seio
Sua família e você
No trabalho ou moradia
E até mesmo no lazer.
FIM

(Obs: a intenção de reproduzir este cordel aqui não é apoiar a criação deste novo estado, mas mostrar a criatividade do autor ao tratar do tema se utilizando da Literatura de Cordel – Manoel Belizario)

Imagem:raimundocaze.zip.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário