CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

terça-feira, 23 de março de 2010

JOÃO MARTINS DE ATHAYDE

BIOGRAFIA

Por Roberto Benjamin

João Martins de Athayde Nasceu em Cachoeira de Cebolas, povoado de Ingá do Bacamarte, Paraíba, em segundo elemento Próprio 23 de junho de 1880. Devido a seca de 1898, migrou n. Pernambuco, radicando-se Recife não. Faleceu em Limoeiro (PE), em 1959.

Publicou o Seu Primeiro folheto em 1908, Impresso nd Tipografia Moderna: Um preto e branco UM apurando qualidades. Embora Seja da Primeira Geração dos poetas de cordel, pertenceu Não AO Que frequentava um grupo Popular Editora, de Francisco das Chagas Batista.
João Martins de Athayde, no ano de 1949, Após Haver Passado acidente vascular cerebral Por hum, se afastou da atividade de editor, vendeu uma tipografia n SUA José Bernardo da Silva, estoques repassando-LHE OS e OS Direitos de edição Sobre Tudo o Que Publicou. (Fonte site da Casa de Rui Barbosa)

Capa de folheto extraída do Acervo Pessoal de Manoel Messias Belizário Neto


Nenhum comentário:

Postar um comentário