CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

sábado, 27 de março de 2010

CORDEL EM HOMENAGEM AO CQC


HOMENAGEM AO CQC



Quando é noite de segunda
Chega dá gosto de ver:
O Brasil inteiro corre
Para a frente da TV
Na ânsia de assistir
Ao programa CQC.

Diante do CQC
Todos têm que se curvar
Porque o nosso país
Se eleva ao patamar
De qualidade suprema
Quando ele está no ar.

Graças a Deus, telespec,
Que existe o CQC,
Porque se não fosse ele
Como era que ia ser?
Quem diria o que a gente
Quer e não pode dizer?

CQC é um jornal
De estilo superior.
Usa o deboche, o cinismo,
A crítica e o humor
Para trazer a verdade
Livre de qualquer temor.

Quem tiver rabo de palha
Que fuja do CQC.
Gafe, desordem, malfeitos,
São aperitivos que
Fazem do programa um cálice
Com maná pra se beber.

O cara escapa nas falhas
Da justiça brasileira.
Quero ver ele escapar
Das cipoadas certeiras
Da turma do CQC
Que não é de brincadeira.

A turma do CQC
Sem dó e nem compaixão
Desce o cacete em qualquer
Forma de corrupção.
Pega gasolina e fogo
E joga no cu do Cão.

“Brasil mostra a tua cara!”
Cazuza veio dizer.
Por medo, omissão e falha
Ninguém quis lhe atender.
Quem cumpre essa missão
No Brasil é CQC.

Televisão brasileira,
Para você aprender
A fazer programa bom,
Escute o que eu vou dizer:
Siga a lição ensinada
Pelo nosso CQC.

Autor: Manoel Messias Belizario Neto, João Pessoa, PB.
Fonte imagem: http://clarafragoso.files.wordpress.com/2009/04/cqc_todos_black.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário