CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

segunda-feira, 29 de março de 2010

ESCRITOR JOSÉ HUMBERTO DA SILVA ME PLAGIA NOVAMENTE

Desta vez o safado plagiou o poema Flor Mulher

Novamente meus leitores
Passo por decepção
O tal do JOSÉ HUMBERTO
DA SILVA um safadão,
Plagiou outro poema
Meu, cê acredita, irmão?

Desta vez vez minha mensagem
Não vai pra aquele safado,
(Autor de meia tigela,
Vigarista e discarado)
Vai pra o recanto das Letras
O coito do desgramado.

Site RECANTO DAS LETRAS
Não envergonhe a história
Dando coito a um safado
Que aproveita a glória
De quem sabe escrever
Pra se gabar em vanglória.

Site RECANTO DAS LETRAS
Que recanto é você?
Acolhendo desonestos.
Meus Deus em quem eu vou crer?
Quem acoita um safado
Já deve lhe conhecer.

Porque tenho uma amiga
Escritora de mão cheia
Que me disse que o safado
Pega poesia alheia
Inclusive uma dela.
Veja só que coisa feia!

Sr. RECANTO DAS LETRAS

Não faça cara tristonha.
Não finja q não sabia
Com explicação bisonha.
Você deve se limpar
Varrer a casa e deixar
De acolher sem-vergonha.
Autor: Manoel Messias Belizario Neto, 28. 03.10
Fonte imagem: http://uei2005.blogs.sapo.pt/arquivo/mentiras.jpg
Link do poema original, Flor Mulher:
Link do plágio



Nenhum comentário:

Postar um comentário