CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

APAGANDO AS PEGADAS É O NOVO CORDEL DE JOSUÉ GONÇALVES

 

Fonte: varnecicordel.blogspot.com

A editora Luzeiro lança mais um cordel de Josué Gonçalves, que já tem cinco trabalhos por esta casa publicadora. Josué se embrenhou pelo mundo da literatura faz um tempo, todavia foi descoberto pelo cordel, arte pela qual ele se encantou e afirma ser seu estilo de vida.
Veja as primeiras estrofes?

Numa tarde nebulosa
De melancólico inverno,
Um ônibus enlameado,
Como se viesse do inferno,
Atravessa um nevoeiro,
Trazendo um homem de terno.

Enfim, Areia dourada!
Defronte a rodoviária,
A viagem então se finda.
A figura solitária,
Faz uma cara de dor,
Por culpa da coronária.

O passageiro que apeia
É um homem já idoso,
Com o terno amarrotado.
Negro de porte garboso,
Andava sob a neblina,
Com o passo cauteloso.

A capa é de Anderson Siqueira

Mais informações:
Editora Luzeiro Ltda
Fone: (11) 5585-1800
E-mail: vendas@editoraluzeiro.com.br

Contato com o autor:
josuegaraujo@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário