CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Cultura indígena, educação e literatura de cordel são temas das salas Pará e Belém


Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 28/04/2013 às 23:07

Da cultura do povo indígena Assu13976__20130428_xvllfeirapanamericanadolivro2443rini à literatura de cordel, as salas “Pará” e “Belém”, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, são espaços de seminários, encontros e ciclos de debates durante a XVII Feira Pan-Amazônica do Livro.

A Sala Pará, com capacidade para 200 pessoas, sediou neste domingo (28) a palestra “A Cultura do Povo Assurini do Xingu – A fala do corpo tatuado”, que atraiu dezenas de pessoas interessadas em ampliar seus conhecimentos sobre a realidade dessa etnia indígena.

A palestra integra o “I Seminário Grafismo Assurini”. A palestrante Suely Menezes, uma das pioneiras desse trabalho, disse que o “assunto do seminário é uma das culminâncias da área literária. Mostrar o projeto é uma oportunidade que temos de proliferar o sentimento de que o índio é o brasileiro que a gente não conhece. Sinto-me privilegiada por ter um seminário exclusivo sobre o grafismo dentro desse espaço maravilho, que é o Hangar, e ainda sendo pensado e valorizado por todos que fazem essa Feira do Livro”.

As próximas atividades na Sala Pará serão nesta segunda-feira (29) e na terça (30), com o “Seminário da Pan-Amazônica – Literatura Indígena na Pan-Amazônica: cosmovisões e projetos”.

No dia 1º de maio (quarta-feira) será realizado o  “Seminário sobre editoração”. No dia 30 de abril e no dia 2 de maio acontecerá o “Encontro Memórias de Mulheres discutindo a ditadura civil-militar no Pará”. A programação na Sala Pará será encerrada com o “III Encontro de Cordelistas da Amazônia” no sábado (4).

Na Sala Belém haverá o “Encontro Literário Pará e Amapá” na quarta-feira (1°) . Na quinta-feira (2), acontecerá o “Ciclo de Educação na Amazônia Paraense”, e no sábado (4) o “Ciclo de Literatura e Cultura Brasileira”.

Texto:
Fernanda Scaramuzzini - Pará 2000
Fone: (91) 3344-0127 / (91) 8831-5371
Email: hangar.ascom@gmail.com

OS Pará 2000 - Estação das Docas, Mangal das Garças e Hangar
ESTAÇÃO DAS DOCAS - Boulevard Castilho França, s/n. Campina, Belém PA HANGAR - Av. Dr. Freitas, s/n. Sacramenta, Belém PA. MANGAL DAS GARÇAS - Pass. Carneiro da Rocha, s/n. Cidade Velha, Belém PA
Fone: E(91) 3212 5615 H(91) 344-0100 M(91) 3242-5052
Site: www.estacaodasdocas.com.br / www.hangarcentrodeconvencoes.com.br / www.mangalpa Email: gabriela@estacaodasdocas.com.br / presidencia@hangarcentrodeconvencoes.com.br

Fonte: Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário