CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

'O Verso e o Briefing' desvenda relação da literatura de cordel com a publicidade

De forró universitário a resenhas de grandes livros, a autora paraibana de Campina Grande Clotilde Tavares fala de tudo com mestria em seus diversos livros e, virtualmente, em seu blog Umas e Outras. Residente de Natal há mais de três décadas, formou-se médica, mas trocou a rotina de consultórios e hospitais por uma sólida carreira literária, que recentemente ganhou mais um título, o livro “O verso e o briefing – A publicidade na literatura de cordel”.
O livro conta a história dos “folhetos de propaganda”, peças utilizadas pelos cordelistas com fins publicitários e a relação da literatura de cordel com a publicidade. Tudo isso com o envolvente texto de Clotilde Tavares. Como conta a autora, a ideia nasceu a partir de um trabalho acadêmico encomendado pela ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) de São Paulo.
O diretor da instituição, José Roberto Withaker Penteado encomendou à autora um seminário sobre o assunto. O evento foi tão bem sucedido que Clotilde, posteriormente, aprofundou a pesquisa e a converteu num delicioso pocket book sobre nossa cultura. A Escritora, dramaturga, professora, cronista e pesquisadora, Clotilde Tavares publicou os livros “A botija”, “A agulha do desejo”, “A magia do cotidiano”, dentre vários outros.
A obra marca a estreia do Escribas de Bolso, dedicado à publicação de grandes obras em formatos pequenos. O selo Jovens Escribas, idealizado por Carlos Fialho, Patrício Jr e Daniel Minchoni, nasceu - como contam os autores em site oficial - da "inquietação de viver numa cidade em que a literatura produzida era basicamente regional. Cansados da falta de renovação da literatura potiguar, os autores arregaçaram as mangas e buscaram formas de viabilizar suas idéias".
Hoje, com mais de 10 publicações, o selo virou editora e se profissionalizou. Agora, agrega também a Distribuidora DaGota, que leva os livros de várias editoras a estados como Pernambuco e Ceará; o selo Bons Costumes, que publia livros customizados de baixas tiragens; e a loja virtual Jovens Escribas, que comercializa exemplares físicos e virtuais para todo o mundo.
É possível comprar 'O verso e o Briefing' aqui.

Fonte: Jovens Escribas via www.vivaviver.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário